Puxando Legal

Stratovarius – Discografia (1989 – 2008)



O cenário era a capital da Finlândia, Helsinki, em 1984. Tuomo Lassila nos vocais e bateria, John Vihervä no baixo e Staffan Strahlman na guitarra criaram o grupo de metal Black Water, que depois se tornou a primeira formação do Stratovarius. O nome é uma junção do violino Stradivarius e da guitarra Stratocaster. A idéia foi do baterista do grupo para que se tivesse a sensação do clássico dentro do rock. Mas, o que pesava no som da banda eram as influências do Black Sabbath e Ozzy Osbourne. A parte clássica das músicas compostas pelo Stratovarius foi levada por Staffan.

A banda mal começava e já notificava baixa. O primeiro a deixar o grupo foi John Vihervä ainda em 1984. Logo entrou Jyrki Lentonen, que havia tocado na banda Road Block. No ano seguinte, foi a vez de Staffan sair e entrar Timo Tolkki, que também fez parte do Road Block. O problema é que Timo Tolkki teve apenas uma semana para aprender as músicas, pois eles já tinham um show marcado na Dinamarca. A solução foi gravar as músicas em uma fita para Timo ouvir e ensaiar o quanto pudesse. Deu certo, logo depois Timo assumiu também os vocais.

A formação tocava freqüentemente em Helsinki e, em 1987, gravaram a primeira fita demo, que continha três músicas: “Future Shock”, “Fright Night” e “Night Screamer”. Enviaram a quem puderam na Finlândia, mas só conseguiram lançar o sonhado disco quando a CBS local viu um show deles na capital. Com um novo integrante, o tecladista Antti Ikoren, Stratovarius gravou o primeiro single, “Future Shock/Witch Hunt”. E, em maio 1989, após a gravação de um segundo single, foi lançado o primeiro disco do grupo, chamado “Fright Night”.

O grupo já havia conquistado a Finlândia e tinha fôlego para atravessar fronteiras. O objetivo era gravar o segundo disco, mas a CBS Finlandesa não quis apostar em um segundo trabalho. Eles não desistiram e financiaram a segunda gravação. Mas, desta vez, mandaram para gravadoras da Europa toda. A Shark Records apostou na banda após ouvir a música “Hands of Time”. Em 1992 foi lançado “Twilight Time” na Europa e Japão, onde conquistou o posto de disco importado mais vendido no país.

O sucesso foi grande e o terceiro disco já estava encaminhado, “Dreamspade”. Lançado em 1994, o disco contava com a participação do novo integrante, o baixista Jari Kainulainen. A única baixa foi momentânea, Tuomo Lassila se machucou e precisou ser substituído no meio da gravação por Sami Kuoppamaki, do Kingston Wall. O lançamento de “Dreamspade” foi mundial e os músicos fizeram até uma turnê no Japão.

O sucesso fez com que eles percebessem que precisavam de um novo vocalista e lá estava o nome: Timo Kotipelto, também finlandês. Assim, iniciava-se uma nova fase do grupo. Enquanto produziam o quarto disco, Timo Tolkki começou sua carreira solo. Mas era tempo de sucesso para Stratovarius. O quarto disco saiu mundialmente em 1995, “Fourth Dimension”, e gerou uma curiosa dobra nas vendas do disco anterior, “Dreamspade”. Desta vez a turnê incluiu, além do Japão, alguns países europeus.

Muitas mudanças estavam por vir. Timo Tolkki percebeu que alguns integrantes se adaptariam ao novo som que Timo e Kotipelto planejavam. Foram inevitáveis as saídas de Tuomo Lassila e Antti Ikonen. Com o desfalque, foram chamados para integrar o grupo o baterista Jörg Michael e o tecladista Jens Johansson. As mudanças afetaram positivamente o trabalho, que pôde ser conferido no quinto disco, “Visions”, lançado em 1997. O som pôde ser chamado de “metal sinfônico”, pois a gravação teve a participação de um coro com 40 cantores e uma orquestra de cordas. O resultado foi turnê na Europa, Japão e América do Sul, além de um disco de ouro.

O sucesso estava garantido. Durante a turnê de “Visions” o grupo gravou um disco ao vivo. Logo em seguida entraram em estúdio para o sexto disco, “Destiny”, que saiu em 1998. Prêmios não faltaram, revistas especializadas elegeram o grupo como a melhor banda de metal e Timo Tolkki como melhor músico. Em 2000, saia o “Infinite”, disco que rendeu uma turnê em que tocaram para mais de 300 mil pessoas. Uma parada era necessária. O tempo foi gasto para que Timo Tolkki e Kotipelto trabalhassem em suas carreiras solos.

A volta, em 2002, foi marcada pelo lançamento de “Elements Part. I”, segundo os integrantes, um trabalho mais épico e sinfônico. E no ano seguinte veio o “Elements Part. II”.

No ano em que o Stratovarius completou 20 de estrada, só se viu polêmicas. Em dezembro de 2003, Timo Kotipelto e Jörg Michael decidiram sair do grupo. Kotipelto passou a se dedicar à carreira solo. Em janeiro de 2004 foi anunciada a união com Anders Johansson, que deixou o grupo uma semana depois de ter entrado. Chovem comentários sobre Timo Tolkki, líder do grupo, que seria muito autoritário. Ele confirmou apenas a entrada da vocalista finlandesa Miss K. (Katriina Wiiala), mas mesmo assim não há sinal de quando o Stratovarius retomará suas atividades e com qual será a formação da banda quando isso acontecer.

2004 e o começo de 2005 foram tempos turbulentos para o Stratovarius. O Líder da banda Timo Tolkki (guitarrista), sofre de problemas mentais; por causa desta doença toma atitudes estranhas e acaba gerando uma grande confusão, expulsando membros, contratando uma vocalista feminina e dando declarações místicas banhado em sangue. Após tratamento e com pedidos de desculpas de Tolki pelos atos durante o tempo de insanidade, Kotipelto voltou para a banda, junto com Jörg.

Apesar do clima tenso, com a banda reunida, foi produzido o décimo terceiro álbum de estúdio, auto-intitulado, em 2005. Um álbum com sonoridade diferente, sem o pedal duplo de sempre, e com os gritos agudos de Kotipelto não tão abundandes quanto antes. Os membros já estavam cansados de repetir o mesmo modo de tocar em tantos álbuns. O resultado é um verdadeiro recomeço depois de tanta confusão.

Após as gravações terminarem, o baixista Jari resolveu sair da banda, por razões pessoais. Foi substituído por Lauri Porra, baixista que já havia tocado com Timo Kotipelto em seu álbum solo.

Dia 2 de abril de 2008, Timo Tolkki anunciou o Fim da banda. Após um longo período de silêncio, Timo Tolkki anuncia oficialmente o Fim do Stratovarius em seu site. As tensões internas dentro da banda foram mencionadas como a causa, dizendo que Lauri Porra e Jens Johannson eram seus únicos suportes, Jorg Michael estava centrado mais sobre seu session work, e Kotipelto era melhor com a banda solo. A banda estava planejando lançar um álbum novo de estúdio, com iniciais R….R…. em 2008. Tolkki estará lançando o álbum solo dele em junho 2008, e será formada a uma banda nova em torno do álbum, chamado “Revolution Renaissance” que terá participações nos vocais de Michael Kiske (ex-Helloween) e Tobias Sammet (Edguy).

Os integrantes prometeram retornar com um
novo álbum de estúdio em 2009 – é o primeiro anúncio oficial desde a saída do guitarrista e principal compositor Timo Tolkki. e acordo com o anúncio, o novo CD será “um registro positivo e poderoso que certamente tocará o coração dos fãs da banda de todo o mundo”.

Comentários do tecladista Jens Johansson: “Depois que Tolkki deu sua permissão para que nós pudéssemos continuar sem ele, escrevendo músicas juntos novamente neste verão depois de muito pensar, nós decidimos continuar com o legado do Stratovarius.

Complementou o vocalista Timo Kotipelto: “Nós estamos muito excitados com a gravação e em tocar as músicas do Stratovarius ao vivo para os nossos fãs. Mal podemos esperar.”

O Stratovarius recrutou o fenômeno finlandês da guitarra Matias Kupiainen, de apenas 25 anos. O baterista Jörg Michael disse: “Encontramos no Matias o novo integrante que se ajusta perfeitamente com seu estilo melódico de guitarra. Ele é um guitarrista impressionante, um prodígio da Finlândia”.

O Stratovarius já confirmou duas datas em festivais para 2009: 22 de maio – Wacken Rocks, Kreuth / Aurich / Alemanha 23 de maio – Wacken Rocks, Kreuth / Aurich / Alemanha

Álbuns:

1989 – Fright Night

1992 – Twilight Time

1994 – Dreamspace

1995 – Fourth Dimension

1996 – Episode

1997 – The Past and Now

1997 – Visions

1998 – Visions of Europe

1998 – Destiny

1999 – The Chosen Ones

2000 – Infinite

2001 – Intermission

2002 – Elements, Pt. 1

2003 – Elements, Pt. 2

2005 – Stratovarius


Resumo Completo:
  • discografia batman 89
Stratovarius – Discografia (1989 – 2008) download torrent baixar online



Comente Esse Post

*


© PuxandoLegal.com - 2014 | Todos os Direitos reservados. |